sábado, 14 de janeiro de 2012


Cinco sinos


Nas estradas de grande movimento, vemos vários hotéis e pousadas, principalmente nas estradas que levam a grandes centros. Esta é a história de uma dessas pousadas, chamada "Pôr­-do-sol".
A pousada pertencia à família de seu Antônio há anos. Ele era muito eficiente, mantinha tudo or­ganizado, os quartos eram muito limpos, a comida era boa, o atendimento era bom, e o preço, então, um dos melhores da região. Apesar de tudo isso, a pousada "Pôr-do-sol" vivia no vermelho. Quase não havia hóspedes. Como podia?
Seu Antônio resolveu pedir conselho há um ami­go, um grande empresário. O amigo disse-lhe:
- Você precisa mudar o nome da pousada.
- Não posso. Esse foi o nome que meu avô deu a ela quando inaugurou, há muitos anos - respondeu Antônio.
Faça o que eu digo. Mude o nome para pousa­da "Cinco Sinos" e na entrada coloque uma fileira com seis sinos.

Aquilo pareceu loucura, mas Antônio resolveu acatar o conselho, afinal, não tinha muito a perder, visto que os negócios estavam cada vez piores.

En­comendou os sinos, construiu uma bonita entrada e lá escreveu com letra bem grande: "Pousada Cinco Sinos".

Não demorou para algumas pessoas pararem para apontar o erro. Faziam questão de entrar na pousada e falar com o gerente para avisar sobre a grave falha no número de sinos. Ao entrar na pousada, porém, ficavam encantados com o lugar, a limpeza, a atenção dos funcionários etc., e todos resolviam passar ali a noite.

Alguns gostavam tanto que voltavam para passar férias. Outros recomen­davam aos amigos. Em pouco tempo, seu Antônio voltou a ter lucros.
Para refletir
O sucesso depende de muitos fatores. Apesar de se fazer tudo da melhor maneira possível, pode ser que o resultado obtido não seja o esperado.

Por vezes, pequenas mudanças geram uma enorme diferença. Quando essas mudanças são criativas e inovadoras, o êxito é praticamente certo. Não despreze nenhuma sugestão, mesmo que ela pareça absurda. Tente. Se não funcionar, volte ao normal.

Outro elemento importante da parábola é que a rotina acaba por desgastar o que quer que seja. Pense em algo que chame a atenção, que faça as pessoas pararem e pensarem. Provoque reações e iniciativas.

Outro modo de ver a parábola é que todos gos­tam de apontar os erros. Temos mais facilidade em criticar do que em elogiar. No trabalho em equipe isso fica ainda mais forte, por isso o líder deve sa­ber corno buscar o equilíbrio e a harmonia. Deve procurar aproveitar a situação para fazer com que todos cresçam, aprendendo com o erro.

(Dirlei Zanon - Párabolas de Liderança - p. 7-10 - Paulus)

1 comentário:

  1. Olá, paz e bem! Estou visitando os catequistas unidos e aproveitando a oportunidade, convido você para conhecer meu novo blog, onde pretendo colocar somente atividades prontas para a catequese. O endereço é http://wwwcatequesigaratinga.blogspot.com.
    Abraços, bom final de semana e fique com Deus!
    Ivani Alves

    ResponderEliminar